16 de setembro de 2012

Olimpíada Colegial Guarulhense



1971 - Primeiros organizadores OCG da esquerda para a direita Milton Rezende, Prof. Mauricio Vieira (falecido) e Prof. João de Freitas. // Foto: autor desconhecido

Para contarmos a história das Olimpíadas Colegial guarulhense, precisamos retroceder 40 anos na história do nosso país. A nasceu no período da ditadura militar. Que teve início em 31 de março de 1964, após o golpe militar que derrubou o presidente João Goulart que tomou posse depois da renúncia do presidente Janio Quadros.

Em Guarulhos, assume como interventor o bacharel Jean Pierre de Morais Barros, nomeado pelo Governo Federal após a cassação do mandato do prefeito Alfredo Nader com base no AI13, (Ato Institucional) que endurecia ainda mais o regime.

O resgate histórico desse importante evento esportivo da Cidade, feito pela Secretaria de esportes reuniu fotos, jornais e informações pouco conhecida.

A edição da OCG foi uma solicitação do prefeito interventor Jean Pierre, e concretizada pelos senhores, Ronaldo Saraceni (chefe de gabinete) João da Costa Freitas, Milton Rezende, e Mauricio Vieira (organizadores). Com o sucesso da primeira edição outros nomes foram chamados para compor a Comissão Central Organizadora da II OCG.

As primeiras edições contaram com a participação de 15 (quinze) escolas do município, hoje a OCG conta com a adesão de em média 120 escolas e entre municipais, estaduais e particulares e aproximadamente 20.000 mil alunos, 15 modalidades.

Quarenta anos depois a Secretaria de Esporte reuniu os vários atores desta história no evento de abertura da 40ª edição, realizado no dia 11 de setembro de 2010, no ginásio Paschoal Thomeo marcado pela nostalgia e emoção. Estiveram presente na festa de abertura da OCG. o interventor Jean Pierre de Morais Barros, idealizador da OCG, Hermano Henning jornalista responsável pela cobertura das primeiras edições, os organizadores João de Freitas e Milton Rezende, Roberto Moreno responsável pela criação do símbolo, Adriana Lessa atriz e apresentadora que participou como atleta além de vários atletas da 1ª edição que conduziram a tocha.

A EE Conselheiro Crispiniano embora não tenha participado do evento, gentilmente emprestou a Salva de Prata usada na 1ª edição, que foi conduzida pelo professor José Benedito Fellipo Bernardes, professor da escola na primeira edição.

Um dos pontos culminantes do evento, o acendimento da pira olímpica foi feita pelo professor João da costa Freitas, que dividiu a emoção de acender a tocha com o bacharel Alberto Serra Pinto que na 1ª edição participou como atleta e há 30 anos participa do evento como Coordenador Geral da Comissão Central Organizadora.
 

 
 

0 comentários: